O que é?


Daryl F. Gates, idealizador do programa
D.A.R.E./Proerd
.
Diante do acentuado aumento do abuso de drogas identificado nos Estados Unidos da América (EUA) na década de 1970 e início dos anos 1980, o visionário Daryl F. Gates[2], então Chefe do Departamento de Polícia de Los Angeles, reuniu-se com o Dr. Harry Handler, então Superintendente do Distrito Escolar Unificado de Los Angeles para discutir formas de interferir no ciclo gerador do abuso de drogas e das condutas criminosas a ele relacionadas. Como resultado, foi lançado em 1983 um programa educacional sem precedentes e inovador para a prevenção do abuso de substâncias: o Drug Abuse Resistance Education (D.A.R.E.). Os idealizadores do programa chegaram à conclusão de que os alunos perceberiam os policiais como os mais confiáveis para aplicar as lições devido à experiência deles em lidar com as consequências advindas do abuso de drogas. Assim, definiram como princípio basilar que os currículos deveriam ser ministrados por policiais uniformizados, especialmente selecionados e treinados, sendo o programa uma extensão natural das ações de polícia comunitária.

          O D.A.R.E. tornou-se muito popular e rapidamente se expandiu para todo o país, consolidando-se como um dos maiores programas de prevenção dos EUA, sob administração da Organização Não-Governamental (ONG) intitulada DARE America, que é proprietária da marca, bem como dos direitos autorais e intelectuais do programa em todo o mundo. Com a expansão internacional, foi criado o D.A.R.E. International, uma divisão destinada a gerir e controlar o desenvolvimento do D.A.R.E. fora dos EUA. Atualmente o programa é ministrado em todos os 50 estados do país de origem e em 49 outros países.
Durante a primeira década de sua história, os currículos educacionais do D.A.R.E. foram atacados por pesquisadores e cientistas que questionavam sua efetividade, até que mudanças significativas resultaram nos currículos atuais, fundamentados em evidência científica e com sua eficácia comprovada por renomados pesquisadores. 

                  
PROERD NO BRASIL 

O Proerd iniciou suas atividades no Brasil em 1992, por iniciativa da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ) após seu então Comandante-Geral, Coronel PM Carlos Magno Nazareth Cerqueira, conhecer o D.A.R.E. nos EUA. Por meio de uma parceria entre o Consulado dos Estados Unidos e a PMERJ, integrantes do D.A.R.E. America  vieram ao Brasil para capacitar vinte e nove policiais do Rio de Janeiro em um curso que ocorreu no período de 17 a 28 de agosto de 1992. Foi então que o Drug Abuse Resistance Education (D.A.R.E.) recebeu sua versão na língua portuguesa, sendo intitulado por Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd).
            Após o sucesso do Proerd naquele Estado, o programa foi implantado também em São Paulo e, gradativamente, expandiu-se para as demais regiões do país, sendo hoje adotado por todas as polícias militares do Brasil. Diante da situação epidêmica de drogas que se apresentava no país, em meados de 2001 o Conselho Nacional de Comandantes-Gerais das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares (CNCG) institucionalizou o Proerd como seu projeto de prevenção primária ao uso e abuso de drogas no Brasil, em consonância com as deliberações constantes na Carta de Fortaleza.[1]

PROERD EM PERNAMBUCO 

Contextualizado com os demais Estados brasileiros e com o Distrito Federal, Pernambuco não poderia ficar de fora das ações acolhedoras do Proerd e aderiu de braços abertos ao Programa. No início, tivemos o apoio dos Centros de Formação e Capacitação das Polícias Militares dos Estados de Santa Catarina e São Paulo, no ano 2000, para formar nossos primeiros instrutores. Nos anos seguintes, outros Centros de Formação e Capacitação, como Distrito Federal, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, também contribuíram para o nosso crescimento. Além dos Centros de Treinamento, as Coordenações do Proerd nos Estados da Paraíba, Bahia, Maranhão, Roraima, Mato Grosso, Goiás e Tocantins também enviaram facilitadores, pedagogos e mentores para atuarem em Pernambuco, contribuindo ainda mais para a boa formação dos nossos policiais militares instrutores. De imediato, a doutrina proerdiana foi difundida para todos os municípios pernambucanos, além do Distrito Estadual de Fernando de Noronha, o que contribuiu sobremaneira para a orientação das nossas crianças, adolescentes, jovens, pais e responsáveis, ajudando-os a se manterem vigilantes sobre o uso abusivo de drogas. Em 2012, com a formação do seu primeiro Facilitador Máster, o Proerd Pernambuco obteve a sua independência, não necessitando mais solicitar profissionais de outros Estados da Federação para formar os seus instrutores. No período dia 17 a 30 de junho daquele ano, o então 1º Tenente Jairo Freitas (hoje Maj PM), participou do Curso de Formação de Facilitador Máster, organizado pela Polícia Militar do Estado do Mato Grosso. O Centro de Treinamento Proerd de Minas Gerais foi o responsável pela formação. 

O Proerd Pernambuco tem conseguido avanços significativos dentro e fora da Corporação, e sua institucionalização no Estado ocorreu através do Decreto Estadual nº 29.188 de 10/05/2006. Sendo o melhor e maior Programa de prevenção às drogas do mundo, o Proerd logo foi incorporado pelo Governo do Estado como carro chefe dos programas preventivos sobre o uso abusivo de drogas da Secretaria de Defesa Social do Estado. É executado pela PMPE, em consonância com a política do Governo Federal, nos eixos de enfrentamento ao crack e outras drogas. Temos parceria firmada com a Secretaria Estadual e algumas Secretarias Municipais de Educação, objetivando atender as escolas estaduais e municipais que apresentam um maior índice de ações ilícitas, mas precisamente sob a influência das drogas, e levar o Programa às cidades mais remotas do Estado de Pernambuco. O Programa já atendeu até a todos os municípios do Estado de Pernambuco (ver estatísticas). 

 COMO É O CURSO? 

                      O Proerd é desenvolvido no ambiente escolar, envolvendo crianças e adolescentes na faixa etária a partir da educação infantil, 5º, 6º e 7º ano, especialmente o 5º ano do ensino fundamental. O desenvolvimento do programa é feito por um Policial Militar, especialmente treinado, em sala de aula, durante dez semanas, com encontros semanais de uma hora de duração, com auxilio de material desenvolvido especialmente para o Proerd. Nesse material (cartilha) o aluno é convidado a discutir e assimilar conteúdos relacionados à autoestima, pressão dos colegas e da mídia para o uso de drogas, as pressões dos companheiros e amigos para agir de forma violenta, resolução de conflitos sem uso da violência e aspectos de vida saudável. A atuação dos policiais instrutores, além de estimular as habilidades das crianças para resistirem às pressões ao uso de drogas, estreita o relacionamento policial na comunidade, dentro do modelo de gestão integrada, a qual visa a defesa da vida, da integridade física e a dignidade da pessoa humana. Tais fundamentos fortalecem a atitude positiva das crianças em relação às autoridades e o respeito às leis, mostrando para todos que para se obter sucesso na vida não existe a necessidade de se experimentar álcool e drogas, como muitas outras mensagens que chegam às crianças procuram mostrar. 

As escolas, ONGs e outros órgãos interessados na aplicação do curso entrem em contato através da ferramenta "Contato". 
[1]Histórico adaptado.  Disponível em: <<.https://www.policiamilitar.mg.gov.br/portal-pm/proerd/conteudo.action?conteudo=1826&tipoConteudo=itemMenu>>. Acesso em: 02/03/2018.

Proerd inicia aulas no Arquipélago Fernando de Noronha

Na última segunda-feira, 21 de maio, teve início o Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd) para as crianças e adolescent...